Domine a si mesmo antes que o estresse faça isso por você

Post2blog

Dicas para ajudar no autoconhecimento e no desenvolvimento frente aos obstáculos do dia a dia

 João levou duas horas para chegar à empresa por conta de uma batida de carros no caminho. Sentou-se em frente ao computador, ainda nervoso. Ao ser questionado por sua colega sobre o relatório, agiu de forma ríspida e fria, assim como na conversa pelo telefone com sua esposa, que ligou preocupada ao saber do acidente na via que ele costuma pegar. Tratou de terminar logo aquela tarefa. Mas, com o estresse aflorado, não prestou atenção nos pontos que precisavam ser revisados, entregando, assim, um relatório cheio de erros.

Embora o personagem tenha um currículo invejável, a falta de domínio de si mesmo foi capaz de ruir a sua competência com a má conclusão de sua demanda, além de ferir pessoas que não mereciam tal tratamento. A história é fictícia, mas é um exemplo muito semelhante à vida real. Tão importante quanto ser um bom profissional, experiente e dedicado, é saber dominar a si mesmo, gerenciando as suas próprias reações e comportamentos, principalmente nos momentos difíceis.

Para isso, separamos três dicas para te ajudar a enfrentar melhor os percalços do cotidiano sem causar danos a si mesmo, ao trabalho e as pessoas ao seu redor.

 Identifique as causas e as razões

“Por conta do trânsito já cheguei estressado”. É importante descobrir quais são os fatores que te tiram do sério e, sobretudo, os motivos. A ciência deles te leva ao melhor autoconhecimento e torna mais fácil lidar com as questões na hora, sem que eles acarretem em novos incômodos, além de dar a dica para evita-los ou solucioná-los futuramente.

Reflita: a importância atribuída aos fatos que te irritam é realmente válida?

Assuma os seus erros

“A minha colega me irrita, por isso fui grosso ao dizer que o relatório não estava pronto.” Temos a tendência a responsabilizar outras pessoas pelas nossas reações, quando, na verdade, a causa está em nós mesmos. É importante ser honesto consigo para, então, poder desenvolver a si próprio. “Eu estava irritado e, sem pensar, agi de forma grosseira com a minha colega.”.

Reflita: somos suficientemente tolerantes e compreensivos perante aos outros e, em especial, aos mais próximos? Confiamos verdadeiramente em nós mesmos, sem temer, no nosso íntimo, não estar à altura?

Mude os hábitos e veja os obstáculos de maneira diferente

Tente enxergar o lado bom das coisas, por piores que elas sejam. Uma visão otimista diminui a possibilidade de se abater e é capaz de enxergar nas adversidades um desafio a ser enfrentado. “Cheguei atrasado e agora preciso superar a mim mesmo em rapidez com qualidade para terminar este relatório”. Dessa forma, comprometa-se em mudar e se policie para que atitudes como elevar o tom de voz sejam parte do passado.

Reflita: se julgamos alguns hábitos e atitudes em nós mesmos como ruins, por que não nos esforçarmos para que se tornem positivos?

 

Comentário

Deixe um comentário

três + um =

XHTML: Você pode usar: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Siga-nos nas redes