Dar voz e ouvir os colegas: por que é importante?

Dar voz e ouvir os colegas

Dar voz e ouvir os colegas é essencial. Certamente você já esteve em uma roda de conversa em que não te deixaram falar. E se deixaram, pode ser que tenham ignorado a sua opinião. Ou ainda, você se lembra de ter guardado um conhecimento, uma informação ou uma ideia por saber que não valeria a pena compartilhar. Todas essas situações são terríveis de se vivenciar, mas esclarecem a importância de dar voz e ouvir os colegas.  

A necessidade de diálogo no mundo corporativo tem uma série de justificativas, benefícios e resultados. Por certo, somente quando as organizações dão voz e escutam os colaboradores é possível sincronizar necessidades, interesses, satisfação e objetivos entre as partes. Assim, compromisso, dedicação, produtividade e resultados serão consequências do investimento no capital humano e valorizam a experiência do profissional na companhia.

O que significa e qual a importância de dar voz aos colaboradores?

Dar voz aos colaboradores pode ser definido simplesmente como deixar as pessoas falarem. No entanto, o termo traz um conceito ainda maior. No mundo corporativo, dar voz aos colaboradores significa não só permitir, mas ainda, proporcionar a oportunidade para que os profissionais se expressem. E essa expressão deve ser livre, sem medos ou ruídos e com o intuito de ser algo construtivo para todos os lados – isso é, equipe, líderes, empresa e o próprio profissional que exerce seu poder de fala.

Como dar voz aos colaboradores

O conceito sobre dar voz aos colaboradores pode parecer complexo para alguns, mas a prática é bem mais simples do que se imagina. Como? Basta ter alguém disposto a ouvir, querer saber, dar atenção. Ou seja, líderes interessados em ouvir a equipe, colegas de trabalho solícitos, política e cultura empresarial que fomentem esse diálogo.

Gestão participativa

Assim como antes as pessoas que somente consentiam com o chefe eram os exemplos, hoje, são aqueles que questionam, inovam e trazem outros conhecimentos. A gestão participativa propõe o compartilhamento de decisões, ideias e responsabilidades. Nesse modelo, cada integrante da equipe ganha seu protagonismo nos projetos. Os profissionais se sentem livres para apontar falhas, sugerir melhorias, opinar, discordar e arriscar alguma reflexão.

Portanto, é possibilitar a participação do colaborador na formatação ou execução de um projeto e até mesmo na própria gestão. A construção é conjunta. Isso dá voz ao colaborador e ainda promove o envolvimento dele e o senso de pertencimento, bem como a sua valorização. Produtividade, criatividade, proatividade são apenas alguns dos milhares de benefícios.

Condições para dar voz aos colaboradores

Existem diversas formas de dar voz aos colaboradores e colocar esse conceito em prática. Para te ajudar, apresentamos as duas vias básicas para tal:

Vias formais

Pelas vias formais, dar voz aos colaboradores é fornecer as ferramentas para que eles desfrutem da abertura, como canais de comunicação, sistemas para registrar críticas, opiniões e sugestões, pesquisas de satisfação e outros tipos, reuniões de feedback, entre outros.

Vias informais

Dar voz aos colaboradores por vias informais está relacionado à liberdade de expressão presente na cultura organizacional, na gestão, na abertura dos líderes. É estimular a postura de profissionais que participam, discutem, colocam suas preocupações, ponderam, reclamam, mas também propõem mudanças e soluções sem precisar de uma ocasião formal para isso.

Como escutar os colaboradores?

À primeira vista, essa pergunta pode parecer tola. Mas na prática, sabemos muito bem que são poucas as pessoas que sabem realmente ouvir. Escutar os colaboradores quer dizer estar presente de corpo e alma, permitir que a pessoa se expresse, proporcionar a devida atenção, compreensão e empatia e estar disposto, de fato, a saber o que o outro tem a dizer.

A Dynargie usa um conceito chamado de “escuta receptiva”, que, em poucas palavras, significa escutar o colaborador de forma aberta (sem julgamentos!), atenta e com interesse genuíno. Quando se pratica isso, quem fala sente respeito e consideração, tornando a ocasião ainda mais valiosa e significativa. Por isso, é fundamental aprender a escutar e desenvolver essa habilidade – e isso vale tanto para os líderes, como para os próprios colaboradores.

Os benefícios da escuta receptiva

Escutar os colaboradores de forma aberta e genuína cria sinergia com o outro. O interlocutor percebe o interesse e a disposição de quem o ouve – por isso, não adianta fingir! Assim sendo, a honestidade da escuta receptiva incentiva os profissionais a expor seus conhecimentos, gerar novas ideias e fomentar soluções criativas e inovadoras, fundamentais para qualquer negócio.

Portanto, o ambiente organizacional que preza a importância de escutar os colaboradores promove segurança e confiança no seu time. Certamente, isso estimula o empenho, a dedicação e a persistência, mesmo sob pressão, estresse ou diante de alguma adversidade. A atmosfera se torna mais amistosa e agradável e a produtividade ganha uma fluidez mais positiva. Além disso, vale lembrar que ouvir e ser ouvido é fundamental para a comunicação e para construção de relacionamentos.

A importância de dar voz e escutar os colaboradores

Então, dar voz aos colaboradores promove a participação, valoriza e incentiva as novas ideias. Escutar os colaboradores fortalece os relacionamentos, demonstra respeito e fomenta a confiança na equipe. Mas para que isso funcione e proporcione todos os benefícios para todas as pessoas envolvidas e a organização, é preciso que essas duas ferramentas (dar voz e escutar) caminhem juntas.

A real importância e grandeza de dar voz e escutar os colaboradores só acontece quando atuam em conjunto e de forma genuína e integral. Afinal, para quê dar o poder de fala se ninguém for ouvir? Ou por que estar disponível e interessado em saber se a outra pessoa não se sentir motivada a se expressar? Portanto, as empresas precisam pensar em desenvolver a escuta receptiva e incentivar a livre expressão ao mesmo tempo.

Dar voz e escutar os colaboradores na prática

Primordialmente, equipes só são bem-sucedidas quando atuam em uníssono para atingir um objetivo. São construídas com bases sólidas de confiança e espírito de união e erguidas com uma causa coletiva que move montanhas. Para chegar a esse patamar, adivinhe qual foi o caminho trilhado? Inegavelmente, dar voz e escutar os colaboradores é abrir diálogos e possibilidades.

Líderes conhecem e compreendem as necessidades de seus liderados. Assim, como o contrário também pode ocorrer, que é quando a equipe entende as razões do gestor e dispõe o seu apoio nessa empreitada. Dar voz e escutar os colaboradores conferem um poder imensurável não só aos negócios, mas à satisfação de produzir cada vez mais e melhor. Todos só têm a ganhar!

Comentário

Deixe um comentário

seis − 5 =

XHTML: Você pode usar: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Siga-nos nas redes