Como especulações influenciam atitudes

Muitas atitudes são reações de imagens que fabricamos em nossa cabeça – mas que nem sempre condizem com a realidade

 

Já falamos aqui no blog sobre a importância de causar uma boa impressão e ser bem-sucedido logo nos primeiros cinco minutos de uma reunião. Mas, antes mesmo da ocasião acontecer existem outros tantos minutinhos tão essenciais quanto impressionar o seu cliente. É quando a mente começa a fabricar uma teoria do que vai acontecer ou criar uma figura do nosso interlocutor, e se não estivermos atentos a como especulações influenciam atitudes, todo o esforço feito até aqui pode ruir em segundos.

Para visualizar melhor, vamos imaginar uma situação em que desenhamos o nosso interlocutor como uma pessoa muito importante, cheia de compromissos e pouco amigável. Acrescente também outros elementos a essa concepção do seu prospect:  o peso do nome, do cargo, da empresa, bem como o ambiente em que nos recebe – e o quanto nos faz esperar.

Verdadeira ou não, nossa reação será em função desta criação, isto é, tendemos a acelerar a nossa exposição para tomar dele o menor tempo possível, pedir desculpas inúmeras vezes por usar o seu precioso horário ou enxergar a nós mesmos como um estorvo, um atraso na rotina. E, além de reagirmos dessa maneira, ainda enfrentamos a nossa própria insegurança e a descrença naquilo que estamos oferecendo. Ou seja, todos os pontos ganhos acabam se dissolvendo facilmente com esta entrada catastrófica na negociação.

O fato é que isso faz parte do trabalho do cérebro e, independente da nossa vontade, não há como impedir. Afinal, quantas vezes já nos frustramos esperando por uma coisa e nos deparamos com outra? Então, como controlar os pensamentos e ideias para que não nos prejudiquem? Mais ainda, como utilizar tais concepções de forma positiva?

O primeiro passo é tomar consciência sobre esta influência em nossos atos. Por exemplo, seu colega diz que o chefe quer falar urgente com você. Em milésimos de segundos, já pensamos em mil e uma possibilidades sobre o assunto. Sabendo isso, é importante que recobremos nossa sobriedade e saibamos distinguir o que é uma hipótese do que é real. Muitas vezes, a imagem que produzimos é distorcida da realidade – principalmente para os ansiosos que acabam sofrendo por antecedência. Em seguida, é hora de tornar a sua reflexão um preparo para entrar na conversa com mente e ouvidos abertos e, ao mesmo tempo, estar pronto para receber notícias boas ou ruins.

Caso contrário, podemos nos perder em nós mesmos e por consequência, adotamos um tom defensivo, irritado ou desanimado ao encontrar o gestor. Lembre-se que, se por acaso ele estivesse cogitando conceder aquela promoção tão almejada, uma atitude assim talvez o faça repensar e adiar a oportunidade. O oposto também vale: confiança excessiva de que ganhará o aumento dificulta o diálogo quando a resposta é um “não”.

Para praticar a autoconsciência e ter a nítida noção de que os devaneios de nossa cabeça têm potencial positivo e negativo, seja durante uma venda, seja no dia a dia, procure perceber suas próprias ações e entender a razão de determinados comportamentos e frases ditas. Esteja consciente das imagens preconcebidas e utilize-as para te favorecer.

Deu errado, e agora?

 Imagem Post

Confira 5 atitudes que vão te ajudar a enfrentar melhor as questões do dia a dia

Sonhamos, planejamos e trabalhamos arduamente. Contudo, nem sempre o barco flui como queremos. Talvez, por mares remotos, são os ventos que sopram em direção contrária ou a tripulação que não está remando corretamente. Problemas, erros e imprevistos podem acontecer a qualquer momento – infelizmente. Ou será felizmente?

Embora ninguém goste das adversidades da vida, é com elas que amadurecemos. É claro que se pudermos evitar esta tensão, será muito mais fácil. Mas, se o leite já estiver derramado, não adianta chorar. É hora de agir! Então, comece com uma visão mais positiva, encarando tais contratempos como desafios e aprendizados. Assim, mudamos aquela realidade estressante para algo instigante, mesmo quando o nervosismo é grande.

Veja algumas dicas para encarar melhor os problemas:

 Não permita que o medo paralise você

Ter medo é normal. O que não podemos é deixar que ele nos impeça de agir. Seja corajoso e não desista. Aos poucos, o medo é substituído pela satisfação do dever cumprido.

 Saiba receber críticas

Críticas são oportunidades de aprendizado. Para enxergá-las assim, é preciso conter a reação mais imediata, que provavelmente seria muito mais emocional. O importante é tentar extrair o principal da crítica recebida, avaliar e tentar melhorar. Por fim, agradeça, especialmente se for daquelas críticas agressivas ou que não agregam nada. Além de elegante, é inesperado e também leva seu interlocutor à reflexão.

 Recomece! Defina objetivos e estabeleça prioridades

Não importa em que ponto parou ou o que deu errado, sempre é possível recomeçar. Pense aonde quer chegar, mas seja realista. Tenha em mente uma meta que seja ambiciosa e concreta e estabeleça o prazo para ser alcançada. Para isso, monte critérios que definam graus de prioridade. As razões de importância podem ser diversas (afetivas, dever, moral, etc.). Diante dos problemas, é mais fácil ser positivo quando se está trabalhando em função de uma meta.

 Tenha atitude positiva sobre o tempo

De nada serve se queixar de ter muito ou pouco tempo ou de ter trabalhado demais (quando as tarefas e obrigações parecem penosas ou difíceis). Ter  uma  atitude  positiva  frente  ao  tempo  é  investir  positivamente a energia  física  e  intelectual, procurando conscientemente descobrir e apreciar os aspectos positivos das coisas que temos oportunidade de viver. Isso ajuda a se dominar a fim de melhor gerenciar o tempo.

 Previna-se com um planejamento efetivo

Para diminuir o stress quando os problemas aparecem, precisamos estar preparados. Para isso, é importante planejar. Estudar os caminhos a serem percorridos e pequenas metas a serem cumpridas. Faça planos em longo, médio e curto prazo. E não se esqueça de pensar no que pode dar errado e possíveis imprevistos. Isso te dará uma gama de alternativas quando os obstáculos aparecerem, deixando-o mais confiante!

Inteligência Emocional – desenvolva a sua!

Post do blog

Quem é inteligente emocionalmente alcança o autoconhecimento em seu modelo de resposta aos estímulos da vida

O tema é campeão de vendas nas livrarias e nas buscas por palestras e treinamentos. Em organizações, também é visto como diferencial dos profissionais. Mas, afinal, o que é ser Inteligente Emocionalmente?

Partimos do princípio Dinérgico de que emoção é um ESTADO e não uma CONDIÇÃO. Aquela mania de dizer “Eu SOU muito emotivo” é, muitas vezes, um equívoco perigoso. Ele faz com que acreditemos realmente SER, quando na verdade o que acontece é que ESTAMOS emotivos por um ou mais motivos.

Estar “emocionado” é uma condição de quem está vivo. Basta respirar para estar suscetível às emoções. Afinal, somos estimulados a todo o momento, seja por fatores internos (memórias e percepções) ou externos (relações interpessoais, TV, rádio, etc).

Processamos e transformamos em percepções da realidade cinco emoções básicas:

  • Medo
  • Alegria
  • Raiva
  • Tristeza
  • Aversão

Pelos filtros criados à partir das nossas percepções, estabelecemos o nosso modelo de mundo e padronizamos as nossas respostas ao ambiente.

E ainda que medo, tristeza e aversão provoquem certo desconforto, todas as emoções são necessárias, pois sua função é adaptativa, servindo como bússola direcionadora das nossas ações. Imagine, por exemplo, como seria uma vida totalmente desprovida de medo ou aversão?

Quem é inteligente emocionalmente alcança o autoconhecimento em seu modelo de resposta aos estímulos da vida. Pensa de forma consciente antes de agir, deixando de lado a reação e a postura de “refém das relações” e tornando-se agente das próprias emoções e relações.

Para dar o primeiro passo em direção à sua Inteligência Emocional, leve em consideração os seguintes aspectos:

1)      Mantenha a autopercepção e a autenticidade independente da opinião das outras pessoas.

2)      Cuide das relações interpessoais e pratique a empatia.

3)      Adapte-se aos ambientes e situações, mesmo que estejam fora da sua zona de conforto.

4)      Enfrente as situações que geram stress no intuito de resolvê-las. Atenção: enfrentar é diferente de confrontar!

5)      Mantenha a visão otimista no futuro e não se deixe abater pelas situações de crise. Quanto antes puder se reestabelecer, melhor!

Os desafios de um gestor na prática

1 490

A convite da Daiichi Sankyo Brasil Farmacêutica, Dynargie apresenta sua metodologia de trabalho no Sindusfarma

Liderança na prática: liderar e gerir pessoas, discutir os desafios dos gestores para compatibilizar interesses, exercer uma influência positiva e obter resultados por meio das pessoas. Essa foi a temática abordada por Vanessa Perfeito, consultora da Dynargie, em palestra para público formado por profissionais de treinamento da Indústria Farma, no dia 21 de maio de 2014.

Uma boa comunicação é uma condição sine qua non para um líder. A premissa da Dynargie é a de que os três principais freios possuem suas condições correspondentes, que são essenciais para uma interação produtiva, conforme exemplificado na tabela abaixo:

Tabela

Na prática, ao identificar os freios e aplicar as condições corretas, alguns desafios do cotidiano podem ser resolvidos mais facilmente, ajudando o gestor a desempenhar melhor o seu papel, de maneira mais incisiva e eficaz. Algumas atitudes podem ajudar:

  1. Dar feedback, sabendo elogiar e “repreender”;
  2. Distinguir o erro da falha, sabendo que o primeiro tem a ver com o gestor e com a competência, passando pela formação e informação para o liderado (que desconhece as regras e/ou o assunto), enquanto a falha refere-se ao não cumprimento das regras ou do combinado, estando ligada ao liderado e à motivação;
  3. Saber dar autonomia e obter a responsabilidade e o engajamento;
  4. Dar coaching;
  5. Favorecer a participação;
  6. Avaliar, fazendo balanço dos méritos e das deficiências e potencializando desempenhos futuros;
  7. Ser o exemplo.

Saiba mais sobre o tema: Liderança sem alegoria

“É possível identificar três campos de interesse nas Organizações: os interesses da empresa, dos gestores e dos colaboradores. O desafio do gestor é alinhá-los. Somente a harmonia entre eles fará com que o relacionamento do gestor com seus diversos interlocutores contribua de forma eficaz para a sustentabilidade dos negócios, tornando-se um ativo essencial para a Organização. Um raciocínio fácil de entender, não de implementar. Afinal, estamos falando de pessoas”, explica.

Circulos Dinergicos

A especialidade da Dynargie é preparar o gestor para atuar em um ambiente com essa complexidade, certificando-se de que ele estará apto a identificar, gerir e resolver as situações com empatia, coragem e atitude positiva. “A influência que esses campos de interesse exercem sobre o gestor nos levou a criar uma metodologia exclusiva: a Gestão Dinérgica®, a qual pressupõe que a eficácia de um gestor é determinada pela forma como ele se comunica com suas equipes e como aproveita, com dinamismo, o máximo da energia de cada um dos seus colaboradores”, completa Vanessa.

Bem-vindo, bem-vinda!

IE (2)

É com muita alegria que estamos lançando mais um canal de comunicação. O nosso blog nasce com o intuito de estreitarmos ainda mais a nossa relação com os parceiros, colaboradores e interessados em saber mais sobre o universo da Dynargie Brasil.

Semanalmente, traremos novidades, dicas e informações sobre desenvolvimento, liderança, gestão, boas práticas e muito mais. Além do seu acolhimento, esperamos que interaja conosco, comentando e compartilhando nossos conteúdos ou enviando-nos suas questões e sugestões. Afinal, acreditamos fortemente no bom relacionamento para melhores resultados.

Aliás, desenvolver o Human Side of Business é a nossa premissa. Afinal, os negócios são feitos por pessoas. É com orgulho que podemos dizer que trabalhamos com uma metodologia diferente para o treinamento de gestores e equipes. Você perceberá isso acompanhando as nossas publicações.

Várias questões pertinentes ao universo corporativo, como liderança, objetivos, planejamento, gestão, atendimento ainda são entraves nas relações de trabalho. Por meio das nossas publicações, abordaremos de forma objetiva, útil e interessante todos esses assuntos.

Quer saber mais? Fique à vontade e dê um mergulho!

Equipe Dynargie

Siga-nos nas redes